Música e internet – part I

01out10

Quem tem música como uma de suas principais tags de vida sabe que ela é um grande elemento aglutinador de indivíduos em tribos além de um produto de consumo. Aliás, intensificou sua presença na cultura urbana moderna, principalmente pós aparelhos de gravação, quando tornou-se uma bela protagonista no que podemos identificar como processo de miniaturização dos aparelhos reprodutores de áudio. Assim, há décadas vem sendo incorporada cada vez mais ao dia-a-dia dos cidadãos.

E com as possibilidades de mistura aqui e mistura ali da internet, música é referência para redes aglutinadoras, como mencionado antes, de tribos e ciberouvintes, e para desenvolver espaços na web temáticos.

Esse primeiro post vai focar no segundo elemento. Sua continuação será para as mídias sociais e as redes criadas e intensificadas. Do Napster ao Pirate Bay, das rádios (e redes!) online, como Last.fm e a anunciada Ping, da Apple (também tenho muito interesse em pesquisar sobre playlists compartilhadas para escrever aqui, vamos ver ^^).

O Stereomood é uma espécie de nuvem de tags: relax, happy, it’s rainning, folk, reading…enfim, como você está, o que está acontecendo ou fazendo, escolha a palavra e receba uma playlist maravilhosa (de verdade) para ser a trilha sonora do momento em questão. Usuários têm total integração com mídias sociais.

O Musicovery é parecido, mas com menos opções. A proposta é o tom da playlist: Dark, Energetic, Calm ou Positive. O bacana é que dá pra navegar pelas décadas de 50 aos anos 2000 de acordo com a escolha. Pode ser só um detalhe, porque ele também funciona como uma rádio, mas essa não é a intenção desse post.

Unhearity é um player de escolhas baseado no SoundCloud. A ideia é para tocar uma música qualquer e tirar aquela música chata da cabeça (estamos em época de eleição, você já se pegou cantando algo chato…). Assim como o Stereomood, é bem integrado com mídias sociais bem conhecidas.

Music Philosophy eu adoro. Tem uma seleção de song quotes, para quem , como o criador, é apaixonado por música e tipografia. Esse é só música em quotes, sem player, mas acompanha a mesma ideia dos ateriores, reunir-se em torno da música para criar um espaço na web diferente.

Clichê ou não, é por isso que eu sempre digo a sábia frase do bigodudo, “sem música, a vida seria um erro.”

Anúncios


No Responses Yet to “Música e internet – part I”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: